As comunidades urbanas mais tranquilas e assassinas do Brasil em 2017


Jovens e sombrios são as principais vítimas do crime na nação, conforme indicado no livro Map of Savagery 2017, distribuído na segunda-feira, 5 de junho, pela Organização de Exploração Financeira Conectada (Ipea). A investigação examina números e taxas de criminalidade no país nas proximidades de 2005 e 2015 e elementos sutis a informação por locais, Unidades de Liga e regiões com mais de 100 mil ocupantes. Mais de 92% dos assassinatos são jovens como vítimas. 


Cada 100 indivíduos mortos em toda a nação, 71 são escuros. A partir de agora, marcando o impacto da idade, tutoria, sexo, estado conjugal e acordo de vizinhança, os negros têm uma chance maior de 23,5% de serem mortos em relação a brasileiros de diferentes raças. No período de acumulação de informações, apenas 2% das regiões brasileiras, com 19,2% da população brasileira, continham parte dos casos de criminalidade.

Apenas 10% dos distritos pensam 76,5% dos casos. 22 dos 30 distritos mais difíceis da nação, considerando passagens por causa da hostilidade (morte) e passagens selvagens por motivo indeterminado (MVCI), 22 estão nas regiões norte e leste do leste. Altamira, no Pará, desencadeia os distritos mais ferozes, com uma taxa de homicídio aumentada ao MVCI de 107. Em seguida, Lauro de Freitas aparece na Bahia (97,7); Nossa Senhora do Socorro, em Sergipe (96,4); São José de Ribamar, no Maranhão (96,4); E Simões Filho, adicionalmente na Bahia (92,3). Verifique o resgate:


O sudeste, então, de novo, conduz o resultado inverso, dos distritos mais serenos. Entre os 30, 24 estão neste distrito. As menores taxas de violência foram com Jaraguá do Sul (3.7) e Abrupt (4.1), ambos no Papai Noel Catarina. Em seguida, eles se apresentam na História dos EUA (4,8) e Jaú (6,3), tanto em São Paulo, Araxá, Minas Gerais (6,8) quanto em Botucatu (7,2), além disso, em São Paulo . Confira:


RECOMENDADAS PARA VOCÊ

loading...