Sniper canadense bate recorde e pipoca um terrorista a 3.450 metros

Tiro de precisão é aquele tipo de atividade que tem tantas variáveis envolvidas que em certo ponto deixa de ser ciência e vira arte, mas se forçar a barra passa para pura magia negra. TUDO influencia. Até a rotação da Terra. Um atirador tem que levar em conta até a velocidade e direção do vento onde ele está e onde o alvo está.
Umidade do ar? Afeta a performance da pólvora E altera a viscosidade do ar, então é levado em conta.
Combatentes odeiam snipers. Mesmo os amigos são vistos com certa desconfiança. Há algo de assustador em um homem capaz de matar outro a mais de 1 km de distância.
O recorde desde 2009 na verdade era bem acima disso. O cabo Craig Harrison, do Exército Britânico atingiu um Taliban no Afeganistão a 2.475 m de distância, usando um L115A3 com munição .338. Agora o recorde foi estilhaçado por um atirador canadense no Iraque.
Ele usou um McMillan TAC-50, com munição .50:
Esse maníaco eliminou um terrorista do ISIS a 3.450 metros de distância, disparando de um ponto elevado. Para compensar a queda do projétil, a mira teve que ser feita em um ponto 150 metros acima do alvo.
O projétil levou mais de 10 segundos para percorrer a distância. Uma mínima rajada de vento e ele teria se desviado vários metros. Se o Achmed levantasse pra se coçar, o tiro já era, mas o canadense acertou em cheio, e desbaratou um ataque do ISIS a uma tropa iraquiana, sem precisar usar bombas ou arriscar danos colaterais. Foi um tiro digno do Gibbs:

RECOMENDADAS PARA VOCÊ

loading...