Mãe e advogada são indiciadas por suposta venda de bebê

Veja vídeo no final da matéria. A Polícia Civil concluiu o inquérito que investigou a mãe que doou irregularmente a filha recém-nascida para um casal do Rio de Janeiro. Das cinco pessoas envolvidas, apenas duas foram indiciadas. O caso ocorreu em fevereiro de 2015, em Lavras, no sul de Minas. A mãe biológica da criança, Márcia Regina Alves Damasceno, de 41 anos, e a advogada, Luciana Maria de Sousa Furtado, de 42, contratada para forjar o documento de adoção, Mãe e advogada são indiciadas por suposta venda de bebê

vão responder pelo crime. Já a médica, Vera Lúcia Cavalcante Belo, que fez o parto da bebê e intermediou o contato entre a mãe biológica e o casal interessado na adoção, responderá apenas civilmente pelo caso. A advogada segue atuando na região como se nada tivesse acontecido e o registro na OAB continua válido. Nossa equipe tentou contato com a OAB mas não obteve retorno. Em depoimento à polícia, Vera Lúcia confirmou o parentesco com o casal Ricardo Fajardo Rezende, de 36 anos, e Débora Fajardo Rezende, de 41. 


Na época, eles moravam no Rio de Janeiro e foram pessoalmente à Lavras buscar a recém-nascida. Os dois chegaram a postar várias fotos da criança em uma rede social. Segundo o delegado responsável pelo caso, Jaison Stangherlin, a informação de que eles teriam pago uma quantia de R$2.800 para a mãe da biológica foi descartada pela polícia. — Como não foi compravado que eles pagaram um valor pela criança, não caracterizou-se crime. Portanto, eles não foram indiciados. 

O caso foi descoberto em fevereiro deste ano quando Débora levou a bebê até um posto de saúde de Lavras para fazer o teste do pezinho. Uma atendente desconfiou porque a mulher apresentou o próprio documento e o cartão de vacinação da bebê, onde consta o nome da mãe biológica. O fato então foi passado para o Conselho Tutelar da cidade, que acionou a polícia. Em seguida, a criança foi levada para um abrigo municipal de Lavras. A adoção da bebê segue a fila do cadastro nacional de pais estabelecida pela Justiça. Caso os indiciados sejam condenados,


 a pena pelos crimes cometidos varia de um a 10 anos de prisão. Entretanto, as duas foram indiciadas no primeiro semestre de 2015 e até a publicação dessa matéria (08/02/2017), seguem livres. - See more at: http://www.opolemico.com.br/Polemicas/sociedade/328-mae-e-advogada-sao-indiciadas-por-suposta-venda-de-bebe#sthash.3JowCllO.dpuf

RECOMENDADAS PARA VOCÊ

loading...