Pedreiro estupra netas na obra e vizinhos mostram castigo fatal na web

A foto da reportagem mostra um famoso caso envolvendo estupro no Nordeste brasileiro. O homem, que trabalharia de servente de obra e pedreiro, após estuprar uma adolescente, acabou sendo morto linchado pelos vizinhos da região. Além de matarem o homem, os moradores da cidade fizeram questão de humilharem ele até depois de morto, colocando no suposto criminoso uma calcinha. Há relatos que ele também teria sido estuprado com um cabo de enxada. Casos como o da foto são extremamente comuns.
De acordo com sites locais, outro homem, de sessenta e dois anos, acabou indo parar na cadeia acusado de violência sexual contra duas netas. Ele também seria pedreiro e as acuações aconteceram nesta segunda-feira, 13. O homem, que como o da foto trabalhava de pedreiro, foi preso na Cidade de Abreu e Lima, localizada na Região Metropolitana da capital de Pernambuco, Recife. Meios de comunicação de Pernambuco dão detalhes chocantes na web sobre tudo o que ocorreu. O nome do homem não foi revelado pelos investigadores. Eles alegam que isso, de alguma maneira, poderia vir atrapalhar as investigações.
As estupradas, de acordo com os agentes da lei, eram netas do homem acusado. As meninas são bem novas. Uma tem nove anos e a outra quatorze. A primeira ainda não teve nem mesmo a primeira menstruação. O avô realizava os abusos na casa dele, que estava em obra. Ele levava as garotas para o local com a desculpa que precisava da ajuda feminina para realizar tarefas domésticas, como promover limpeza. Era nessa desculpa da limpeza que acabou ajudando o idoso a encobrir a prática. Crimes como esse, caso comprovados e condenados na justiça, podem deixar o acusado décadas na prisão. Como o homem já tem idade avançada, ele corre o risco de nunca mais deixar as grades.
De acordo com o delegado Ivaldo Pereira, titular da Delegacia de Paulista, disse que chegou até o homem depois de duas mulheres da própria família - que seriam tias das vítimas - fizeram a denúncia. Elas gravaram o momento que o pedreiro confessa os crimes.