Mãe faz apelo para encontrar fuzileiro naval que desapareceu a caminho do trabalho, no Rio

Uma família está em busca de informações sobre o paradeiro de um fuzileiro naval que desapareceu a caminho da base de sua corporação, na Ilha do Governador, na Zona Norte do Rio. Morador de Nilópolis, na Baixada Fluminense, Diego Sanson, de 25 anos, fez seu último contato com parentes, na noite da última terça-feira, quando disse que dormiria no quartel. Desde então, ele não foi mais visto. A mãe do rapaz, a estudante de Direito Sílvia Gomes, de 48 anos, começou uma campanha em redes sociais para localizá-lo.


— Na noite da última terça-feira, ele usou o celular de um amigo militar para ligar para minha nora e dizer que dormiria no quartel. Esse militar disse que não o viu mais depois disso. No quartel, não souberam nos informar se ele chegou a dar entrada no local. Não tenho ideia do que pode ter acontecido com ele — desabafa Sílvia.
Segundo a mãe, o cartão de débito do militar foi utilizado para pequenas compras nos últimos dois dias, o que causou estranhamento.
— Não tivemos mais notícias dele, mas o cartão dele está sendo utilizado. Duas compras de R$ 284 nos últimos dias 1 e 2 chamaram atenção — explica Silvia, que não sabe dizer se as compras podem ter sido feitas pelo filho.
Diego Sanson, de 25 anos, tem uma filha pequena
Diego Sanson, de 25 anos, tem uma filha pequena Foto: Reprodução / Facebook
Silvia conta ainda que procurou a delegacia de Nilópolis para apurar o caso, mas a unidade estava em greve. Por isso, nesta sexta-feira, ela deve voltar ao local.
Nesse meio tempo, ela conta com a ajuda de publicações em uma rede social para alertar sobre o desaparecimento do rapaz, que é casado e tem uma filha pequena.
— Meu filho quase não saía de casa. Ele não frequentava noitadas e costumava dizer onde ia. Ele estava feliz e não tinha motivos para sumir — diz a mulher, que se preocupa com a situação do filho na corporação já que, se ele não aparecer em sete dias, poderá ser considerado um desertor.