Como surgiu a continência dos militares?

A continência militar é um gesto bastante conhecido pela população e tem, até mesmo, um forte significado na história da humanidade. A origem dessa saudação militar nos leva de volta à Idade Média, quando a continência era usada como um símbolo de respeito para com os reis. O objetivo da continência era saudar o soberano da nação, e isso acontecia sempre antes de grandes batalhas de cavaleiros. Nessa saudação, os guerreiros faziam uma reverência ao rei, erguendo com a ponta dos dedos da mão direita a viseira do elmo que fazia parte da armadura medieval.



Este sinal também era uma forma de demonstrar paz, pois reforçava o fato de que a mão que segurava a espada estava vazia. Depois de um tempo, a continência tornou-se um hábito entre os exércitos. O ato de levar a mão à testa passou a representar um cumprimento respeitoso e amigável, além de ser visto como um tipo de senha entre os soldados. Até os dias de hoje, os militares fazem a saudação da continência de maneiras diferenciadas em vários países. Na França, por exemplo, os militares fazem a continência com a palma da mão voltada para a frente. Já no Brasil, o cumprimento é feito à moda prussiana, com a palma da mão voltada para baixo. 


A história da continência militar


A continência surgiu ainda no mundo feudal, e percorreu um longo caminho até chegar aos ditadores e exércitos violentos pelo mundo. Para muitos soldados, esse símbolo demonstrava sua honra em ocupar uma posição militar. Um marco triste da história da humanidade é representado pela saudação utilizada por Adolf Hitler, na Alemanha. O ditador tinha verdadeira obsessão pelo poder militar do antigo Império Romano e, por isso, criou sua própria continência, na qual as pessoas tinham que erguer o braço direito com uma inclinação de 45 graus e dizer: “Heil, Hitler”. Atualmente, a continência militar é um gesto importante e de grande valor nos exércitos e forças militares.

RECOMENDADAS PARA VOCÊ

loading...