FAB reforça ações de prevenção ao Aedes em suas unidades militares

Atuação de militares da FAB na Base Aérea de Brasília
De norte a sul do País, a Força Aérea Brasileira (FAB) está mobilizando suas tropas para inspecionar os possíveis focos do mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue, chikungunya e Zika vírus. Desde a última sexta-feira (29), cerca de 1.200 organizações militares das Forças Armadas de todo o Brasil realizam mutirão de limpeza.  
Este trabalho integra a primeira fase do plano de enfrentamento do Ministério da Defesa à proliferação do Aedes, que segue até amanhã, 4 de fevereiro. O objetivo da ação é chamar a atenção para os cuidados necessários contra o mosquito, além de eliminar possíveis focos de proliferação nestes locais. 
Confira, abaixo, um resumo das ações que estão sendo realizadas pelo País:
Brasília - Na última sexta-feira (29), cerca de 500 militares da FAB realizaram uma grande ação de prevenção contra focos de proliferação do Aedes aegypti na Base Aérea de Brasília. Foram inspecionados os possíveis focos do mosquito, como calhas, gramado e troncos de árvores.
Recife Na sexta-feira (29), militares treinados ajudaram na ação interna em unidades da Guarnição de Aeronáutica de Recife. A varredura nos locais checou locais com probabilidade de se tornarem criadouros de larvas do mosquito, além de reforçar a limpeza geral nas instalações.
Fortaleza - A Base Aérea de Fortaleza (BAFZ) promoveu, na sexta feira (29), palestra sobre os meios de identificação e combate ao mosquito Aedes a 380 militares e funcionários civis. Após orientações, o efetivo realizou varredura na unidade, em clubes e nas áreas residenciais. Também foram realizadas ações educativas sobre as formas de prevenção e combate ao mosquito.
Florianópolis - A Base Aérea de Florianópolis (BAFL), em conjunto com a Prefeitura de Aeronáutica de Florianópolis (PAFL) e o Batalhão de Infantaria (BINFA-25), realizou um mutirão no dia 28). A ação envolveu cerca de 100 militares na verificação de todas as áreas das unidades sediadas e residências. Foram recolhidos materiais que possam acumular água e tornar-se possíveis criadouros do vetor. 
Belém - Os militares da Base Aérea de Belém (BABE) realizaram mutirão de combate ao mosquito nas instalações da unidade na última quinta-feira (28), trabalho que terá repetição duas vezes por semana. A base desenvolve trabalho interno de manutenção das instalações, com responsabilidades distribuídas entre todo o efetivo. 
Canoas/RS - Na semana passada, o efetivo do 5º Comando Aéreo Regional (V COMAR) em Canoas também entrou na guerra contra o mosquito Aedes. A ação promoveu uma varredura na área militar, de 600 mil metros quadrados, para buscar locais com possível acúmulo de água, ambiente propício para a proliferação do mosquito. Agentes de saúde da Prefeitura de Canoas fizeram aplicação de larvicida em locais com acúmulo de água, como ralos e fossos. 
Próximas etapas
A segunda etapa de mobilização das Forças Armadas, no dia 13 de fevereiro, prevê a mobilização de 220 mil homens e mulheres (160 mil do Exército, 30 mil da Marinha e 30 mil da Força Aérea). Esse contingente atuará em 356 municípios, incluindo todas as capitais e as cidades consideradas endêmicas pelo Ministério da Saúde. 
Os militares farão a distribuição de material impresso com orientações para que a população se informe e se engaje no combate ao Aedes. No panfleto, que deverá ser entregue em aproximadamente três milhões de residências, também vai constar um número de telefone local para envio de denúncias onde haja proliferação do mosquito.
Entre os dias 15 e 18 de fevereiro ocorre a terceira etapa, quando 50 mil militares estarão diretamente envolvidos no combate ao mosquito. Essa fase do trabalho será realizada em uma ação coordenada com o Ministério da Saúde e as autoridades locais e terá visitas domiciliares dos efetivos das Forças Armadas, acompanhados de agentes de saúde, para inspecionar possíveis focos de proliferação, orientando moradores e, se for o caso, fazendo aplicação de larvicida em criadouros. A capacitação dos militares que vão atuar no combate ao mosquito está prevista para a próxima semana.
A última etapa, ainda em fase de discussão com o Ministério da Educação (MEC), prevê a utilização de efetivos militares em visitas a escolas. A meta é reforçar o trabalho de conscientização das crianças e adolescentes sobre como evitar a proliferação do mosquito transmissor.